Coordenando a Educação Bilíngue: desafios e potencialidades

6 min

Por Pedro Brandão | Coordenador-geral da equipe Pedagógica do Be – Bilingual Education

A educação bilíngue tem sido um tema importante no Brasil nos últimos anos, já que o país busca promover o multilinguismo e o intercâmbio cultural, ao mesmo tempo em que aborda questões de desigualdade linguística. No entanto, coordenar programas de educação bilíngue pode ser uma tarefa desafiadora, mas também com muitas potencialidades a serem consideradas. 

É fato que a Educação Bilíngue tem mostrado uma série de benefícios para os estudantes. Esses benefícios incluem habilidades cognitivas aprimoradas (Bialystok, 2001), melhor desempenho acadêmico (Lindholm-Leary, 2001) e maior consciência e sensibilidade cultural (Baker & Jones, 1998). No Brasil, a educação bilíngue é relativamente nova, com uma estimativa de apenas 3% das escolas privadas oferecendo soluções bilíngues de acordo com o Censo Escolar 2018. No entanto, com o advento das Diretrizes Curriculares Nacionais para a oferta de Educação Plurilíngue no Brasil apresentada pelo Conselho Nacional da Educação em 2020, mais escolas Brasil afora têm se engajado na promoção de propostas bilíngues realmente sólidas e bem fundamentadas. Como exemplo, hoje o Be- Bilingual Education conta com mais de 90 escolas parceiras em todo território nacional, com mais de 30 mil alunos desenvolvendo suas habilidades bilíngues por meio de um Currículo Bilíngue totalmente parametrizado pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e em consonância com parâmetros internacionais de educação.  

Com o compromisso e a responsabilidade de uma entrega realmente positiva, os Coordenadores Pedagógicos da Educação Bilíngue podem encontrar grandes desafios ao longo do percurso. Mas como tudo tem (pelo menos) dois lados e por terem a nobre missão de promover links significativos entre todos os membros da comunidade escolar, esses Coordenadores também são diariamente convidados a refletir e (re)pensar suas práticas diante das grandes potencialidades que a Educação Bilíngue pode oferecer a todos. 

Neste artigo, veremos algumas das principais questões relacionadas à educação bilíngue no Brasil e exploraremos maneiras pelas quais os coordenadores podem melhorar a qualidade das relações com a comunidade escolar e promover uma Educação Bilíngue transformadora. 

 

Desafios de coordenar a Educação Bilíngue

Um dos principais desafios da coordenação da educação bilíngue é encontrar e reter educadores qualificados e fluentes nos dois idiomas. Pela alta demanda, pode ser difícil competir com outras escolas pelos serviços desses profissionais. Isso pode levar à escassez de pessoal e altas taxas de rotatividade, o que pode prejudicar o ambiente de aprendizado e dificultar o progresso dos estudantes. Para encontrar educadores qualificados, as escolas podem considerar algumas medidas:

  1. Faça parceria com faculdades e universidades: essas organizações podem ajudar a conectar escolas com educadores bilíngues qualificados ou em formação,  e também fornecer recursos e suporte para recrutar e reter esses educadores.
  2. Utilize mídias sociais e plataformas online: plataformas de mídia social como LinkedIn, Instagram e Twitter podem ser úteis para alcançar educadores bilíngues e promover vagas de emprego. As escolas também podem usar quadros de empregos on-line e sites de carreiras para anunciar vagas e encontrar candidatos qualificados. Os parceiros do Be – Bilingual Education, por exemplo, têm à disposição todo suporte midiático para promoção dessas postagens como imagens e textos sugeridos já pré-definidos.
  3. Considere programas de certificação alternativos: Muitos estados oferecem programas de certificação alternativos para indivíduos que possuem experiência em uma área, mas não possuem certificação de ensino tradicional. Esses programas podem ser uma boa maneira de encontrar educadores bilíngues qualificados que podem não ter credenciais de ensino tradicionais. O Be oferece aos parceiros a possibilidade dessa certificação, tanto para colaboradores que já são da escola quanto para novos talentos que a escola pode atrair.
  4. Ofereça incentivos e suporte: as escolas podem considerar oferecer incentivos, como auxílio-moradia ou bônus de inscrição, para atrair e reter educadores bilíngues qualificados. Eles também podem fornecer oportunidades de desenvolvimento profissional contínuo e apoio para garantir que esses educadores sejam capazes de ter sucesso em suas funções. Na assessoria pedagógica do Be são previstos momentos formativos com certificação ao longo de todo ano. Além disso, os educadores bilíngues que atuam com o Currículo Be na escola têm a oportunidade de obterem certificação reconhecida pelo MEC como especialistas em Educação Bilíngue.

Ao implementar essas estratégias, as escolas podem aumentar suas chances de encontrar e reter educadores bilíngues qualificados e podem criar um ambiente de aprendizado mais estável e eficaz para seus estudantes.

Outro desafio é o custo de implementação e manutenção de uma solução de educação bilíngue. Pode ser caro contratar e treinar educadores bilíngues e fornecer os materiais e recursos necessários em vários idiomas. Isso pode ser um desafio particularmente significativo para escolas com orçamentos limitados. Para superar esse desafio, o Be – Bilingual Education oferece todos os recursos pedagógicos e um dos programas de treinamento inicial e formação continuada para educadores e famílias mais robustos do Brasil. 

Além desses desafios, coordenar a educação bilíngue também pode ser demorado e requer uma quantidade significativa de planejamento e coordenação. Isso inclui desenvolver e implementar o currículo, avaliar o progresso do estudante e adaptar-se às necessidades e estilos de aprendizagem dos estudantes que estão em contato com dois idiomas diferentes. Por isso, nós do BE entendemos a importância de oferecer aos parceiros uma assessoria pedagógica humana e muito próxima, dando suporte constante aos coordenadores para realização desses planejamentos que também precisam acomodar os anseios e preocupações das famílias. Esse é outro grande desafio encontrado por esses profissionais, já que precisam lidar com os mitos, preconceitos e medos que ainda assolam algumas famílias que ainda não foram beneficiadas com o entendimento acerca dos benefícios expressivos que a Educação Bilíngue traz aos estudantes.

Para além desses desafios, coordenar a educação bilíngue também permite muitas possibilidades transformadoras e benefícios que tocam toda comunidade escolar. 

 

Possibilidades transformadoras ao coordenar a Educação Bilíngue

Uma das principais potencialidades é a capacidade de atingir e oferecer um leque mais abrangente aos estudantes e  às famílias. Ao promover a Educação Bilíngue, as escolas podem atrair e reter estudantes de diversas origens linguísticas e culturais, o que pode criar um ambiente de aprendizado mais inclusivo e diversificado.

Outra potencialidade é a capacidade de melhorar o desempenho acadêmico. Como há uma vasta oferta de materiais e recursos pedagógicos em língua inglesa disponíveis principalmente online, os estudantes orientados por um currículo bem acompanhado pela coordenação pedagógica terão à disposição diferentes meios de aquisição de informação, de conteúdos e de língua adicional. Consecutivamente, terão diferentes oportunidades de desenvolvimento acadêmico e linguístico.

Além disso, coordenar a educação bilíngue também pode ter um impacto positivo na comunidade. Ao oferecer educação bilíngue, as escolas podem apoiar a diversidade linguística e cultural de suas comunidades e criar uma sociedade mais coesa e conectada. É muito comum que, durante a implementação do Currículo Be nas escolas parceiras, as coordenações descubram talentos entre os educadores que muitas vezes eram desconhecidos. Em inúmeras ocasiões, quando apresentamos o Be para as escolas, educadores de outras áreas demonstram seus interesses em atuar nas aulas bilíngues porque vêem a oportunidade de integrar seus conhecimentos técnicos e específicos ao idioma do qual já são, muitas vezes, proficientes. 

Concluindo, coordenar a Educação Bilíngue no Brasil pode ser uma tarefa complexa e desafiadora, mas também importante e recompensadora. Usando estratégias para a atração e desenvolvimento profissional de educadores, para obter colaboração e envolvimento das famílias e contando com uma assessoria e suporte integral como oferecido pelo Be – Bilingual Education, os coordenadores poderão superar os contratempos e perceber cada vez mais as potencialidades da educação bilíngue. Além disso, ao promover o multilinguismo e a expansão da compreensão cultural, os coordenadores causam um impacto positivo na vida dos estudantes e de toda comunidade escolar, o que inevitavelmente contribui para uma transformação positiva de toda educação brasileira.

REFERÊNCIAS

Baker, C., & Jones, S. (1998). Encyclopedia of Bilingualism and Bilingual Education. Multilingual Matters.

Bialystok, E. (2001). Bilingualism in Development: Language, Literacy, and Cognition. Cambridge University Press.

Lindholm-Leary, K. (2001). Dual Language Education. Sage Publications.

Pedro Brandão

Pedro Brandão

Coordenador-geral da assessoria pedagógica do Be - Bilingual Education, formado em Letras pela Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP) e pelo Marietta College (EUA). Especialista em Educação Bilíngue pelo Instituto Singularidades, com certificado CELTA pela Stafford House (UK). Educador há 16 anos, com experiência em docência, coordenação, assessoria pedagógica e administração escolar em centros de idiomas, escolas bilíngues e internacionais. Educador e formador de educadores em escolas de ensino básico, da Educação Infantil ao Ensino Médio.
Search

Conteúdos mais lidos

O Be oferece um conceito inovador em implantação do ensino bilíngue nas escolas do Brasil. Diferente de muitos projetos bilíngues ativos

  No Brasil, cerca de 2 milhões de pessoas apresentam diagnóstico do Transtorno do Espectro Autista (TEA). Alguns dos desafios