Como o estudo de Ciências instiga a curiosidade

4 min

Observe a imagem abaixo. Como podemos relacioná-la com Ciências?

Para o sustento do nosso corpo, precisamos ingerir alimentos sólidos e líquidos. O processo da ingestão se inicia na boca com a mastigação do alimento, que o quebra em pequenos pedaços (processo físico). Logo depois, esse alimento é encaminhado para o estômago, onde ocorre a digestão por meio do suco gástrico (processo químico). Então, o alimento é levado para o intestino delgado, onde são retirados os nutrientes necessários para o sustento do nosso organismo. Por fim, o alimento passa para intestino grosso e tudo que não foi digerido e aproveitado como nutrientes para o nosso corpo é descartado.

Todo o processo descrito acima é parte do campo de estudo das Ciências. No dicionário Michaelis, a palavra “ciências” tem duas acepções: 1 Disciplinas que mantêm conexões sistemáticas, levando em consideração o estudo de certo tema. 2 Conhecimentos que abrangem o estudo sistemático da natureza ou o cálculo matemático”.

Isso quer dizer que as ciências e suas formas estão em tudo ao nosso redor, desde o processo de digestão no nosso corpo até a geração de energia elétrica que alimenta nossos celulares. 

Mas como a BNCC propõe o estudo das ciências?

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) propõe que a área de Ciências da Natureza tenha compromisso com o letramento científico, permitindo que os estudantes compreendam e interpretem o mundo ao seu redor – além de transformá-lo –, baseados em  processos, práticas e procedimentos da investigação científica.

No Fundamental – Anos Iniciais, a área de conhecimento de Ciências da Natureza se desdobra no componente curricular Ciências. Todos os componentes curriculares são organizados por unidades temáticas. No caso das Ciências, temos: Vida e Evolução; Matéria e Energia; e Terra e Universo. Tais unidades temáticas são subdivididas em objetos de conhecimento, que vão especificando os temas a serem estudados, e em habilidades, que são os conhecimentos necessários para o pleno desenvolvimento das competências.

A seguir, temos um exemplo das especificidades da unidade temática Vida e Evolução, desdobrando nos objetos de conhecimento Corpo Humano e Respeito à Diversidade e nas habilidades EF01CI02, EF01CI03, EF01CI04.

Todo o trabalho da BNCC é estruturado em espiral, no qual os eixos temáticos se repetem a cada ano com a indicação de uma progressão gradual de aprendizagem dentro do conjunto de habilidades propostas. A proposta é a construção gradual de conhecimentos, que parte de um menor grau de complexidade até chegar a um maior grau de complexidade, respeitando o desenvolvimento e a maturidade dos estudantes.

Por isso é tão importante compreender o método científico como o conjunto de etapas para o estudo científico, pois somente assim é possível validar uma pesquisa. Essas etapas incluem: observação de um fato, criação de questionamentos a serem respondidos, construção de hipóteses, experimentação a fim de justificar ou refutar as hipóteses apresentadas, análise dos resultados obtidos na experimentação de acordo com as hipóteses levantadas e conclusão.

Todos esses desdobramentos das Ciências visam à maior compreensão, por parte dos estudantes, dos métodos usados para investigação científica não somente de forma teórica dentro das salas de aula, mas principalmente dentro dos fenômenos que podem ser observados no cotidiano. Tudo isso aliando conceitos teóricos e práticos que podem ser observáveis, questionáveis e investigados por meio de processos bem-definidos . Assim, teremos cada vez mais estudantes letrados cientificamente.

Como essa proposta da BNCC ocorre dentro do Currículo Bilíngue?

No Currículo Be, todo o processo de compreensão das estruturas necessárias às aulas de Science é fornecido aos educadores bilíngues que atuarão em nosso currículo desde o momento da formação inicial deles – tanto os formados em Letras quanto os formados em Pedagogia.

Dessa forma, ao fazer seu planejamento de acordo com os planos de aula oferecidos, o educador pode se preparar para as aulas estudando os conteúdos a serem ensinados e se aprofundando em cada um deles. Todos os planos de aulas têm referência às habilidades a serem ensinadas, conforme a proposta da BNCC para a área de Ciências.

No processo de preparação de aula, o educador precisará refletir sobre as possíveis perguntas e os pontos nos quais os estudantes possam apresentar dúvidas sobre o conteúdo. Assim, ele pode se preparar para esclarecer dúvidas e orientar os estudantes para que busquem respostas aos questionamentos apresentados.

No processo de letramento científico proposto pela BNCC, os estudantes têm um papel ativo na construção do conhecimento. Através das etapas do método científico, o estudante se torna agente ativo ao observar situações do cotidiano, levantando hipóteses, criando questionamentos e verificando, por meio da experimentação, se o que foi observado e questionado está ou não correto. É assim que as Ciências começam a fazer parte da vida cotidiana do estudante.

 

REFERÊNCIAS

Brasil Escola – https://brasilescola.uol.com.br/quimica/metodo-cientifico.htm

Nova Escola – https://novaescola.org.br/bncc/conteudo/61/o-que-preve-a-bncc-para-o-ensino-de-ciencias 

Nova Escola – https://novaescola.org.br/conteudo/10053/entendendo-os-conceitos-que-organizam-a-base-nacional 

Michaellis Online – https://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues-brasileiro/ci%C3%AAncia/ (acessado em 09/08/2022).

UOL Educação – https://educacao.uol.com.br/disciplinas/ciencias/sistema-digestivo-absorcao-de-alimentos-e-eliminacao-de-residuos.htm#:~:text=Da%20boca%20aos%20est%C3%B4mago,es%C3%B4fago%20e%20chega%20ao%20est%C3%B4mago. (acessado em 09/08)

Ludmila Souza

Ludmila Souza

Assessora pedagógica no Be - Bilingual Education. Formada em Letras, com Licenciatura em Língua Inglesa pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Segunda graduação em Pedagogia pela Universidade de Franca (UNIFRAN). Pós-graduada em Gestão Escolar, Orientação e Supervisão Escolar pela Universidade de Franca (UNIFRAN); e em Metodologias e Práticas para Educação Bi/Multilíngue pelo Instituto Singularidades. Educadora há 15 anos, com experiência em docência, coordenação e assessoria pedagógica em centros de idiomas e escolas bilíngues. Educadora e formadora de educadores em escolas de ensino básico, da Educação Infantil ao Ensino Médio.
Search

Conteúdos mais lidos

Por Rafaella Rapini | Assessora Pedagógica Be – Bilingual Education A expressão “scaffolding” em contexto pedagógico é utilizada para nomear

Neste episódio do BeCAST (abaixo), nós dialogamos com duas profissionais experts em educação bilíngue e que sempre trazem para a